DUAS COMPANHIAS — PE
Encabeçada por Lívia Falcão e Fabiana Pirro, a DUAS COMPANHIAS tem como um dos seus objetivos principais a experimentação cênica, mostrando uma produção ousada e corajosa, comprometida com a inovação, com a qualidade e, sobretudo, com a busca de um teatro contemporâneo capaz de reacender no público o seu interesse por essa arte milenar de contar histórias ao vivo.

Fotógrafo:
ESPETÁCULO: CAETANA
Caetana — uma forma poética de denominar a morte — é um espetáculo experimental que se renova a cada encontro com o espectador. Fala, através das imagens, das palavras, dos sons e do imaginário, a linguagem poética do humano, o Nordeste renovado na cena. Na peça, Benta, uma rezadeira, vê-se diante de seu próprio encontro com a morte. Chegando ao Reino do Invisível, ela reencontra algumas almas anteriormente encomendadas por ela, que aparecem em forma de bonecos.
Técnica: Mista
Idade Recomendada: A partir de 14 anos
Interpretação: Lívia Falcão e Fabiana Pirro
Autoria: Moncho Rodriguez e Weydson Barros Leal
Direção: Moncho Rodriguez
Duração: 70 minutos
MÃO MOLENGA TEATRO DE BONECOS – PE
O MÃO MOLENGA trabalha com bonecos e formas animadas há vinte anos. Sediado no Recife (PE), iniciou as atividades teatrais em 1986 e, desde 1991, passou a atuar em produções para a TV. Realizou catorze montagens com texto original, sendo premiado em concursos e festivais do Recife. Entre seus principais trabalhos para TV estão a participação em campanhas publicitárias do Festival Sesi Bonecos do Mundo e no seriado 500 Anos, série de programas educativos sobre a História do Brasil, realizados pela Fundação Joaquim Nabuco para a TV Escola / MEC.

Fotógrafo:

 

ESPETÁCULO: Babau
Babau é um espetáculo de Teatro de Bonecos que ilustra o processo de criação de várias gerações de mamulengueiros nordestinos. Mostra as práticas e técnicas dos artistas, a importância e a graça da arte do mamulengo e a difícil realidade na qual os mestres populares estão inseridos. O espetáculo valoriza a estrutura original da “brincadeira”, mostrando o improviso, a sátira social e privilegia o riso como forma de crítica aos costumes e poderes estabelecidos. Destina-se a platéias de todas as idades.
Direção: Marcondes Lima
Texto: Carla Denise
Criação e Confecção dos Bonecos de Boca Articulada: Oficina do Mão Molenga
Criação e Confecção de Mamulengos: Oficina do Mestre Zé Lopes
Finalização dos Mamulengos e Adereços: Fábio Caio e Marcondes Lima
Criação de Figurinos e de Cenários: Marcondes Lima
Confecção de Cenário: Uziel Lima, Paulo, China
Costura: Fátima Caio, Nelma Caio, Maria Lima
Mão Molenga: Carla Denise, Fabio Caio, Fátima Caio e Marcondes Lima
Atores Convidados: Andrezza Alves, Marconi Bispo e Plínio Maciel
Trilha Sonora: André Freitas
Iluminação: Sávio Uchôa
Operação de Som: Marcelo Senna e Felipe Coimbra
Contra-regragem: Andrezza Alves, Carla Denise, Fátima Caio e Plínio Maciel
MAMULENGO PRESEPADA — DF
Nascido de oficinas coordenadas por Fernando Augusto, do Grupo Mamulengo Só-Riso, e da convivência com o amigo Carlinhos do Babau, do Grupo Carroça de Mamulengos, o MAMULENGO PRESEPADA, começou a atuar em 1985, depois de viajar três anos pelo nordeste brasileiro. Foi Mestre Solon, importante mamulengueiro, já falecido, do Mamulengo Invenção Brasileira, quem presenteou o grupo com os primeiros bonecos e.ensinou-lhe que “em São Saruê, vive tudo o que se imagina” e que “boneco é anterior ao homem”, abençoando o caminho que o MAMULENGO PRESEPADA vem seguindo desde então.

Fotógrafo:
ESPETÁCULO: O Romance do Vaqueiro Benedito
Premiado como melhor espetáculo infantil no Festival Nacional de Teatro de Florianópolis, em 1997, O Romance do Vaqueiro Benedito reúne personagens clássicos da cultura popular a outros, novos, que podem entrar ao sabor dos improvisos e da comunicação direta com o público. O roteiro pode variar também de brincadeira para brincadeira. Na peça, o Capitão João Redondo descobre o romance de sua filha, Margarida, com o seu empregado, Benedito, e passa a perseguir o casal, que foge e tem de enfrentar todo tipo de obstáculos. É em meio a muitas lutas, mas também a muitas festas, que vai nascer um menino, filho do amor de Benedito e Margarida.
Técnica: Mista
Classificação: A partir de 07 anos
Adaptação e Direção: Chico Simões
Duração: 60 minutos
CATIBRUM TEATRO DE BONECOS — MG
O Centro de Produção Cultural CATIBRUM TEATRO DE BONECOS é formado por atores e manipuladores interessados em pesquisar e divulgar a arte do Teatro de Animação, através de montagens de espetáculos, oficinas de construção e manipulação e realização de eventos que congregam bonequeiros do Brasil e do mundo. Em 2006 a companhia comemora quinze anos.

Fotógrafo: Guto Muniz
ESPETÁCULO: O Cavaleiro Da Triste Figura
Adaptado do clássico romance de Cervantes, considerado a maior obra literária de todos os tempos, o espetáculo O Cavaleiro da Triste Figura apresenta o confronto entre loucura e realidade na vida de um nobre senhor que, de tanto ler, troca a razão pelo sonho de mudar o mundo e sai acompanhado de seu escudeiro Sancho Pança para viver sua fantasia. Usando diversas técnicas de manipulação (transversa, luva e projeção de imagens) e optando pelo despojamento de cenários, a Catibrum reinventa o deserto árido da imaginação de D. Quixote e conta sua história com humor e lirismo.
Técnica: Manipulação Transversa, Luvas e Sombras
Classificação: Adulto
Adaptação e Direção: Lelo Silva
Assistência de Direção: Adriana Focas
Confecção de Bonecos: Catibrum Teatro de Bonecos
Figurinos: Lelo Silva
Elenco: Lelo Silva, Eduardo Santos, Lissandra Guimarães, Amaury Borges, Cassia Domingues, Cláudia Andrade e Elvira Santos.
Duração: 50 minutos
COMPANHIA NAVEGANTE TEATRO DE MARIONETES — MG
Fundada pelo marionetista argentino Catin Nardi, radicado no Brasil desde 1990, a Companhia encanta platéias de todas as idades através da sofisticada arte das marionetes de fios, não só apresentando seus espetáculos em diferentes espaços, como também desenvolvendo trabalhos publicitários e educativos para a TV. Mantém sede própria na cidade histórica de Mariana (MG), onde faz apresentações e mantém uma exposição permanente de bonecos. Tornou-se conhecida nacionalmente ao ter seus bonecos expostos na Rede Globo de Televisão, fazendo a abertura da novela As Filhas da Mãe e confeccionando e manipulando os patinhos e bichos do terreiro da minissérie Hoje é Dia de Maria.

ESPETÁCULO: Musicircus
Musicircus reúne diferentes números musicais e circenses que encantam pela sofisticada manipulação das marionetes e que surpreendem pela qualidade técnica das personagens. Dirigido a públicos de todas as idades, o espetáculo apresenta efeitos de fogo, luta de sumô, pernas de pau e personagens populares que dançam e tocam instrumentos: tudo isso sob o comando do apresentador do circo, boneco que aparecia, diariamente, na abertura da telenovela As Filhas da Mãe, da Rede Globo de Televisão.
Técnica: Fios
Idade Recomendada: Todas
Criação, Direção e Confecção de Bonecos: Catin Nardi
Manipulação: Catin Nardi e Cássia Saldanha
Duração: 45 minutos
GIRAMUNDO — MG
Criado em 1970 pelos artistas plásticos Álvaro Apocalypse, Terezinha Veloso e Maria do Carmo Vivacqua Martins (Madu), o GIRAMUNDO tem feito jus ao nome e se notabilizado como um dos grupos de Teatro de Bonecos mais atuantes e premiados em todo o mundo. Seu trabalho não se limita às produções teatrais, estendendo-se a cinema, vídeo, televisão, escola de marionetes, oficinas de construção de marionetes, exposições e cursos. Sua contribuição na formação de profissionais da área mudou radicalmente o panorama dessa modalidade teatral no Brasil.

Fotógrafo: Arquivo Giramundo
ESPETÁCULO: Cobra Norato
Cobra Norato é o próprio poeta que vestido em pele de cobra, corre o mundo em busca da Filha da Rainha Luzia. Sai do fundo da Floresta Amazônica e se dirige a Belém do Pará. O sentido parece ser da selva para a civilização. Cobra Norato é um boneco índio; seu companheiro de andanças, o Tatu, quando deixa o casco, é um boneco africano; a Filha da Rainha Luzia é um boneco de traços europeus. Quando o herói e seu companheiro têm o primeiro contato com um agrupamento civilizado, os personagens também têm forma derivada de bonecos verdadeiros. No caso, bonecos de cerâmica do Nordeste e do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais.
Técnicas: Fio e Balcão
Idade Recomendada: Todas
Criação e Direção: Álvaro Apocalypse
Elenco: Ana Flávia Fagundes, Giuliana Carrazza Gambogi, Luiz Fernando Vitral, Raimundo Bento, Rooney Tuareg, Paulo Emílio Luz, Guilherme Prado Amarante e Ulisses Tavares
Duração: 60 minutos

Fotógrafo: Arquivo Giramundo
ESPETÁCULO: Pedro e o Lobo
Baseado no conto sinfônico de Sergei Prokofiev, Pedro e o Lobo apresenta às crianças a estrutura elementar de uma orquestra, seus instrumentos e timbres. Sua simplicidade e mobilidade fizeram do espetáculo a montagem mais encenada do Giramundo.
Técnica: Fio
Idade Recomendada: Todas
Criação e Direção: Álvaro Apocalypse
Elenco: Raimundo Bento, Rooney Tuareg, Luiz Fernando Vitral, Paulo Henrique Apocalypse e Ana Flávia Fagundes
Duração: 45 minutos
CONTADORES DE ESTÓRIAS — RJ
Conhecido no mundo inteiro, o grupo CONTADORES DE ESTÓRIAS, que neste ano, completa 35 anos de existência, está sediado em Paraty, cidade onde passou os últimos 25 anos e onde construiu a sua sede, o Teatro Espaço. O cosmopolitismo do grupo — formado por Marcos Caetano Ribas, Rachel Ribas e Inez Petri — o da própria cidade, pólo turístico que, há muito tempo, atrai pessoas ligadas à cultura do Brasil e do exterior, chama a atenção e garante o sucesso do Contadores de Estórias, dono de uma carreira de 25 espetáculos montados e de apresentações feitas em 15 países e 18 estados brasileiros.


Fotógrafo: Alfredo Ribeirinha
ESPETÁCULO: Em Concerto
Em Concerto é um espetáculo para adultos, sem palavras, composto de sete poéticas vinhetas em que os personagens são os bonecos quase vivos que consagraram o grupo Contadores de Estórias. A manipulação sutil e sensível conduz essas “pessoas” diminutas em cenas ora tristes, ora divertidas, e até com um certo conteúdo sensual. A intenção de Marcos Caetano Ribas, autor e diretor, através da manipulação de Rachel Ribas e Inez Petri, é a comunicação direta com a emoção do espectador. “As figuras em miniatura são mais reais do que os humanos”, definiu uma vez um crítico do jornal The New York Times.

Técnica: Manipulação Direta
Idade Recomendada: Maiores de 16 anos
Concepção e Direção: Marcos Caetano Ribas
Bonecos e Adereços: Marcos e Rachel Ribas
Elenco: Rachel Ribas e Inez Petri
Duração: Cerca de 50 min

SOBREVENTO — RJ/SP
Completando vinte anos, o SOBREVENTO é um grupo que se dedica ao estudo e à experimentação do Teatro de Animação, desenvolvendo espetáculos sempre muito diferentes. Partindo de temáticas, formas e técnicas de animação distintas e visando diferentes públicos e espaços, o Grupo se aventura a cada nova montagem, ao fugir do que lhe é cômodo e conhecido. Muitas vezes premiado, o Sobrevento já se apresentou em dezeseis estados brasileiros e em oito países de três continentes.

Fotógrafo: Paquito
ESPETÁCULO:Cadê o meu Herói?
Cadê o meu Herói?, encenação do texto do argentino Horacio Tignanelli, explora a técnica da luva chinesa, aprendida em um trabalho intensivo com o chinês Yang Feng, o representante mais conhecido dessa técnica, recentemente falecido. É um espetáculo de aventura, com lutas, tiros, explosões e laser, dirigido àqueles meninos que já se acham grandes demais para ver Teatro de Bonecos. Nele, uma donzela, presa na torre de um castelo por um barão malvado que cismou que quer se casar com ela, chama heróis para salvá-la, em busca de uma solução simples e rápida. Descobre, porém, que a melhor solução para uma discussão ainda é um bom diálogo.
Técnica: Luva Chinesa
Idade Recomendada: A partir dos 8 anos
Texto: Horácio Tignanelli
Criação: Grupo Sobrevento
Elenco: Sandra Vargas, Luiz André Cherubini e Anderson Gangla
Técnicos: Maurício Santana, Marcelo Amaral e Agnaldo Souza
Direção-geral: Luiz André Cherubini
Direção de Manipulação: Yang Feng
Cenografia: Telumi Helen
Supervisão de Cenografia: J. C. Serroni
Iluminação: Renato Machado
Duração: 55 minutos
GRUPO XPTO — SP
O GRUPO XPTO tem um histórico expressivo dentro do panorama teatral brasileiro. Participou de diversos festivais nacionais e internacionais, tendo recebido, ao longo de 23 anos de carreira, 40 dos mais importantes prêmios do Teatro brasileiro. A pesquisa do Grupo tem como foco a construção de uma poética contemporânea, interagindo com diversas linguagens como a dança, o teatro, as artes plásticas a música e o teatro de animação, entre outras.

Fotógrafo: Osvaldo Gabrieli
ESPETÁCULO: Utopia — Terra De Dragões
Nesta montagem do grupo XPTO, destinada ao público infanto-juvenil, três clowns partem em busca de Utopia, um mundo esquecido habitado por cinco dragões. Com canções e danças, dando vida a bonecos de grande porte, dez atores abordam questões ligadas à cidadania, à ecologia, à descoberta do outro e à convivência com a diferença.
Técnica: Mista
Classificação: Infantil
Autoria e Direção: Oswaldo Gabrieli
Duração: 55 Minuto
PIA FRAUS — SP
Da diversidade de formação a companhia PIA FRAUS — cujo nome vem do latim e significa “uma mentira contada com boas intenções” — busca integrar, em seu trabalho, diversas linguagens: Teatro de Bonecos, dança, circo, Teatro de Atores e infláveis gigantes. Nos seus 22 anos de existência, participou de dezenas de festivais no Brasil e no exterior, recebendo diversos prêmios nacionais e internacionais. Mantém, hoje, um repertório de 7 espetáculos.

Fotógrafo: Paquito
ESPETÁCULO:Gigantes de Ar
Sua montagem Gigantes de Ar funde Circo e Teatro de Bonecos, explorando a relação entre os domadores e suas feras, sob a ótica dos palhaços. Esse é o primeiro de vários espetáculos em que o Grupo utilizou infláveis gigantes, que passaram a ser uma de suas marcas.
Técnica: Mista (Infláveis Gigantes E Fantoches)
Censura: Livre
Autoria: Beto Andretta E Beto Lima
Direção: Beto Andretta
Duração: 50 Minutos
CIA. TRUKS — SP
A CIA. TRUKS coordena o Centro de Estudos e Práticas do Teatro de Animação, espaço de referência, formação profissional e difusão artística na área do Teatro de Bonecos, em São Paulo. O grupo recebeu os principais prêmios do teatro para crianças do País, combinando uma dramaturgia rica a uma estética refinada de manipulação de figuras e bonecos, encantando as crianças com histórias bonitas, instigantes e repletas de fantasia e poesia.

Fotógrafo: Guto Muniz
ESPETÁCULO: Vovô
Vovô é uma homenagem aos imigrantes que chegaram ao nosso país em meados do século passado. A peça conta a história do personagem “vovô", desde a infância no país distante, o início da vida adulta em meio à guerra de que foi palco o continente europeu, a dura viagem ao Brasil, até a sua velhice, quando se transforma no contador de histórias que nos emociona tanto, com sua saga e com suas histórias tão fantásticas e, ao mesmo tempo, tão reais.

Técnica: Bonecos de mesa com manipulação direta, luvas e sombra
Autoria e Direção: Henrique Sitchin
Classificação: Infantil
Duração: 50 Minutos

TEATRO VENTOFORTE — SP
O TEATRO VENTOFORTE surge em 1974, na cidade do Rio de Janeiro, com o espetáculo História de Lenços e Ventos, de Ilo Krugli, considerado pela crítica um marco do teatro para crianças no Brasil. Em sua trajetória, já apresentou mais de trinta espetáculos, que somam cerca de cinquenta prêmios como Mambembe, Molière, Coca-Cola, e recentemente dois prêmios Shell pelo espetáculo Bodas de Sangue, que participou da 5ª edição do Festival Mundial de Teatro e Música da Holanda. Uma marca presente no trabalho do grupo é a valorização da cultura popular e a “democratização” dos temas e da forma de apresentar os espetáculos. Com suas montagens e oficinas, o grupo já excursionou por países como Estados Unidos, Itália, Bélgica, Suíça, Espanha, Alemanha, Portugal, Cuba, Chile, Argentina, entre outros.

Fotógrafo:
ESPETÁCULO: Um Rio que Vem de Longe
Em Um Rio que Vem de Longe, um pequeno barco ancorado, que nunca tinha navegado, apaixona-se por uma flor que a correnteza levava. Quando o barquinho consegue libertar-se, é levado pelas correntezas, como a flor, e quase naufraga no mar. É salvo por um marinheiro, que lhe ensina a usar a âncora e a saber parar frente aos que ama. O espetáculo explora a linguagem, os rituais e o imaginário das festas populares e é apresentado desde 1963.
Técnica: Mista
Idade Recomendada: Todas
Texto e Direção: Ilo Krugli
Atores e Músicos: Ilo Krugli, Marilda Alface, Dinho Lima Flor, Márcia Fernandes, William Guedes, Aloísio César, Catarina Moreira
Duração: 65 minutos
CIA. TEATRO LUMBRA DE ANIMAÇÃO — SP
Dedica-se à pesquisa, experimentação, produção e difusão do teatro de animação, unindo a arte, a ciência, a filosofia e o sobrenatural em seus espetáculos e demonstrações. Investiga o teatro de sombras através de vivências, projetos pedagógicos e experiências interativas com o público. Nos festivais e eventos de que participa, tem projetado uma estética e uma dinâmica afinadas com a cultura do Brasil.

Fotógrafo:
ESPETÁCULO: Sacy Pererê — A Lenda da Meia-Noite
Teatro de sombras inspirado no primeiro livro de Monteiro Lobato e feito para crianças corajosas, Sacy Pererê — A Lenda da Meia-Noite conta a história de um viajante que é assombrado pelo Sacy e perde todas as suas coisas. Para continuar a sua viagem, ele terá de provar sua coragem caçando o diabinho perneta.
Técnica: Sombra com Atores
Idade Recomendada: A partir dos 6 anos
Texto e Direção: Alexandre Fávero
Elenco: Alexandre Fávero, Fabiana Bigarella, Flávio Silveira e Roger Mothcy
Duração: 40 minutos
CIA. DA TRIBO — SP
A CIA. DA TRIBO, fundada por Wanderley Piras e Milene Perez, iniciou seu trabalho de pesquisa sobre cultura popular em 1996, tendo por objetivo pesquisar as personalidades e as manifestações culturais do nosso país, através da história, da música e da dança que o povo faz por todos esses cantões do Brasil, recriando-as teatralmente.

Fotógrafo:

 

ESPETÁCULO: Homem-Palco
O Homem-Palco é um teatro de bonecos móvel que possui a capacidade de se deslocar pelo espaço, sendo representado por um único ator-bonequeiro. Junto com seu assistente, um músico, apresenta três contos tradicionais do Brasil através da manipulação de dez bonecos com técnicas de vara e luva. A música é executada ao vivo e mecânica através de um mini trio elétrico. Os contos — A princesa advinhona, O marido da mãe-d’água e o Sapo com medo de água —, compilados por Câmara Cascudo, foram adptados pela Cia da Tribo para o teatro de bonecos e cada um tem aproximadamente quinze minutos.
Técnica: Luva e Vara
Idade recomendada: Todas
Texto e Direção: Wanderley Piras
Elenco: Regina Arruda e Renato Vidal
Bonecos: Cia. da Tribo
Figurino: Milene Perez
Trilha Sonora: Renato Vidal e Wanderley Piras
Duração: Cerca de 15 minutos cada história
MORPHEUS TEATRO 12 — SP
O grupo paulista MORPHEUS TEATRO 12, formado por João Araújo e Luiz Andrade, direciona sua pesquisa teatral para a relação entre homem e boneco e para o entrelaçamento de duas linguagens: o Teatro de Atores e o Teatro de Bonecos. Desse encontro, surgiu o primeiro trabalho, O Princípio do Espanto, que já participou de diversos festivais e mostras no Brasil e na Europa.

Fotógrafo:

 

ESPETÁCULO: O Princípio do Espanto
No espetáculo, um boneco entra em cena e encanta-se com o que vê, com os objetos que encontra, enchendo-se de desejos, apaixonando-se, festejando, fracassando, perdendo o controle. O boneco, que pensa conduzir os objetos à sua frente, nada sabe sobre o que está por detrás de si, nada sabe sobre o homem que é responsável por seu mais simples movimento. O homem crê controlar o boneco que construiu, mas compartilha com este da ignorância do que está por detrás de si próprio. Homem e boneco, em uma relação sem palavras. Ambos procurando o que as palavras não dizem.
Técnica: Manipulação Direta
Idade recomendada: A partir de 14 anos
Criação e Manipulação: João da Silva Araújo
Direção: Luiz Andrade
Duração: 55 minutos
RAFAEL LEIDENS — SP
O ator e marionetista RAFAEL LEIDENS desenvolve, há dez anos, trabalhos com Teatro de Animação e de Atores, muitas vezes fundindo as duas linguagens. Além de criar bonecos para teatro, cinema e publicidade, tem-se apresentado em várias cidades do País, ora como solista, ora integrando elencos e grupos de teatro.

Fotógrafo:

 

ESPETÁCULO: Estrelas do Brasil
Estrelas do Brasil é um trabalho solo, que homenageia a Música Popular Brasileira de qualidade. Destacando algumas das maiores estrelas da MPB, traz para o público a voz e a imagem das nossas maiores cantoras, através da mágica do Teatro de Marionetes. Carmen Miranda, Elis Regina e Gal Costa, juntas, pela primeira vez, cantam o melhor de suas brasilidades, em um palco que relembra os cassinos dos anos 40.
Técnicas: Fios e Manipulação Direta com Varas
Idade Tecomendada: Todas
Manipulação: Rafael Leidens
Direção: Mário de Ballentti
Confecção de Bonecos: Mário de Ballentti e Rafael Leidens
Duração: 20 minutos
CIA. CIRCO DE BONECOS — SP
Dirigida por Claudio Saltini, a CIA. CIRCO DE BONECOS nasce da Cia. A Cidade Muda, que desempenhou um papel importante no desenvolvimento e na difusão do Teatro de Bonecos na cidade de São Paulo, nos anos 80 e 90. Em seu novo grupo, Saltini continua a explorar o trabalho experimental e plástico característico de A Cidade Muda e mantém, em seu repertório, um dos espetáculos dessa companhia, da qual foi um dos fundadores.

Fotógrafo:

 

ESPETÁCULO: CIRCUS — A Nova Turnê
Circus — A Nova Turnê é um espetáculo indicado para crianças a partir de três anos que recria o mundo maravilhoso do circo em quadros curtos e engraçados. Na montagem, a palavra falada é substituída pelo gesto do clown e pela trilha musical circense. O trabalho de manipulação seguro e preciso de Cláudio Saltini e Teka Queiroz faz com que os bonecos pareçam ganhar vida própria. Ganhador do Prêmio APCA, em 2000, como melhor espetáculo de animação, o espetáculo é uma singela homenagem ao universo circense que pode não ser o maior espetáculo da Terra, mas que é, certamente, um dos mais engraçados.
Técnica: Manipulação Direta
Idade Recomendada: Todas
Criação: Eduardo Amos, Marco Antônio Lima e Cláudio Saltini
Direção: Eduardo Amos
Elenco: Cláudio e Teka Queiroz
Confecção de Bonecos: Marco Antônio Lima e Cláudio Saltini
Duração: 48 minutos
CIA. MANOEL KOBACHUK — PR
Com mais de trinta anos de existência dedicados ao Teatro de Animação, a CIA. MANOEL KOBACHUK realizou intensa e diversificada atividade, através da criação de espetáculos, exposições de acervos, edições de boletins especializados, cursos, oficinas, desenvolvimento de literatura dirigida e admissão de estagiários. Atualmente, dirige o Teatro de Bonecos Dr. Botica e a Associação Chico Lua.

Fotógrafo:
ESPETÁCULO: Música, Maestro!
Música, Maestro! é uma viagem por aspectos fundamentais da cultura musical, com ênfase nas manifestações brasileiras, populares e eruditas. A produção mescla o tradicional e o contemporâneo em uma linguagem musical. Os números são apresentados em dois planos: no primeiro, com marionetes de fio e atores; no segundo, com bonecos de luva e de vara.
Técnica: Fio, Luva e Manipulação Direta
Idade Recomendada: Todas
Criação e Direção: Manoel Kobachuk
Elenco: Manoel Kobachuk Filho, Bernardo Sicuro Cabel, Cláudio Miller, Ivan da Silva Araújo, Luiz Antonio Nonato Nobre e Adonias Roberto Venícius Pereira
Duração: 50 minutos
MIYASHIRO TEATRO DE BONECOS — PR
Fundada em 1998, por Jorge Miyashiro e Luciana Aliberti Miyashiro, a MIYASHIRO TEATRO DE BONECOS dedica-se exclusivamente ao fantoche para um manipulador-solista, buscando novas possibilidades de confecção e de manobras, sem alterar seus signos tradicionais. Com uma manipulação delicada e precisa, Miyashiro parte da técnica chinesa de fantoches para alcançar o desenvolvimento de um boneco de luva muito particular.

Fotógrafo:

 

ESPETÁCULO: Luvazine
Luvazine é o blog cênico do ator transformado em boneco. Jorginho, uma miniatura do próprio manipulador, com a ajuda atrapalhada do "Seu" Macaco, passa por diversas situações cômicas, compondo quadros divertidos, que agradam tanto as crianças como os adultos.
Direção, Texto e Atuação: Jorge Miyashiro
Assistência e Pintura: Luciana Aliberti Miyashiro
Confecção: Miyashiro Teatro de Bonecos
Trilha Sonora: Rodrigo Grigoletti e F.H.
Assessoria de Imprensa e Imagem: Sérgio Del Giorno
TRIP TEATRO DE BONECOS — SC
A TRIP TEATRO DE BONECOS, dirigida pelo artista William Sieverdt, nasce de uma reformulação da Cia. dos Bonecos, com uma experiência de dezesete anos de atividades e apresentações por mais de dez países. Atuando em várias frentes, a Trip desenvolve espetáculos e eventos e mantém, juntamente com Nazareno Bonecos, o Centro de Pesquisa e Produção de Teatro de Animação, na cidade de Rio do Sul (SC), onde está sediada.


Fotógrafo: Xico Stocker
ESPETÁCULO: O Incrível Ladrão De Calcinhas
O escritório do Detetive Bill Flecha é procurado pela Srta. Velda, uma mulher-fatal que tem sua peça íntima roubada e pagará qualquer quantia para tê-la de volta. O que parecia um crime banal dá origem a uma série de outros crimes violentos, dos quais todos são suspeitos, até que se prove o contrário ou até que seus corpos sejam encontrados em algum beco escuro.

Técnica: Bonecos De Mesa Auto-sustentáveis
Autoria e Direção: William Sieverdt
Classificação: Adulto
Duração: 1 Hora


Fotógrafo: Fabrício S. Mendonça
ESPETÁCULO: O Velho Lobo do Mar
O Velho Lobo do Mar é um espetáculo solo, com o qual William Sieverdt participou de festivais e turnês por vários países. Na peça, Charlie, um marujo aposentado, perdido em uma ilha deserta, mostrará que, para tudo na vida, existe uma saída: não é à toa que ele é conhecido, pelos Sete Mares, como “O Velho Lobo do Mar”.
Técnica: Luva
Classificação: Livre
Autoria e Direção: William Sieverdt
Duração: 20 minutos
GRUPO MUNDARÉU — SC
O GRUPO MUNDARÉU é formado por atores, bonequeiros, dançarinos, pesquisadores e arte-educadores que juntos, lançam mão da cultura popular brasileira e, encantados pela beleza desta, se transformam em brincantes. Em seus nove anos de existência, montou e apresentou seus sete espetáculos em doze estados do País e gravou três CDs com as músicas de suas montagens.

Fotógrafo: Roberto Reintenbach
ESPETÁCULO:Guarnicê
Guarnicê é uma singela opereta popular que tem como tema a brincadeira do Bumba meu-Boi. Esse teatro popular é uma manifestação viva que ocorre em todo o Brasil, assumindo diferentes formas. Nesse espetáculo, reúnem-se algumas das toadas e dos personagens do auto do Bumba-meu-boi, que, do Amazonas ao Rio Grande do Sul, conta o mesmo enredo: o boi é roubado por Nego Chico e Dona Miquilina e precisa ser resgatado. No decorrer da trama, surgem o Cazumbá, os índios, a burrinha, a cabra, a bernunça... personagens que vêm ora alegrar a festa, ora resolver o dilema de como trazer o boi de volta para a brincadeira!

Técnica: Mista
Classificação: Todas as idades
Direção e Adaptação: Itaércio Rocha
Duração: 60 Minutos

TURMA DO PAPUM — SC
A TURMA DO PAPUM foi criada por Sérgio Tastaldi e Márcia Pagani, em São Paulo em 1993 e transferiu-se, em 1995, para Florianópolis, onde permanece até hoje. O Grupo mantém cinco espetáculos em repertório, alguns dos quais já foram apresentados em festivais não só no Brasil, mas também na Itália e na França. Cada espetáculo é sempre resultado de experimentações novas como o efeito de luz ultravioleta (João e o Pé de Feijão), o cruzamento entre desenho animado e bonecos (Gibi), a animação direta (Ilha dos Carijós) e o uso de marionetes de fios (Primeira História de Natal). O Grupo também promove oficinas de desenho animado e de construção de bonecos em látex.

Fotógrafo:
ESPETÁCULO: Teatro Feito à Mão
Teatro Feito à Mão é um teatro de revista com bonecos: pequenas e divertidas histórias onde o enredo é o cotidiano. Sérgio criou e construiu os bonecos, Márcia compôs as músicas e eles mesmos manipulam diversos bonecos (todos confeccionados em látex e resinas) de tamanhos variados e com expressões muito reais. Ora são duas rendeiras se alfinetando, ora é uma clarividente adivinhando o futuro da platéia, ora são números que viram bichos.
Direção e Bonecos: Sérgio Tastaldi
Textos e Músicas: Márcia Pagani
Manipulação: Sérgio Tastaldi e Márcia Pagani
CIA GENTE FALANTE — TEATRO DE BONECOS — RS
Fundada em 1991, em Salvador (BA), pelo ator bonequeiro Paulo Martins Fontes, a CIA. GENTE FALANTE — TEATRO DE BONECOS completa, neste ano, quinze anos de atividades ininterruptas, conquistando o reconhecimento do público e importantes premiações. Mantém-se, hoje, com seu repertório ativo, com um espaço próprio dedicado à arte do Teatro de Formas Animadas, em Porto Alegre.

Fotógrafo:
ESPETÁCULO: Circo Minimal
Circo Minimal é uma pequena ilha de sonhos, uma sala itinerante e com recursos técnicos independentes e miniaturizados. No espetáculo, artistas mínimos, pequenos animais amestrados, são os personagens de uma série de quadros curtos que enfocam a situação do artista face à realidade do mundo. Circo Minimal é um caderno de “tirinhas teatrais”, de apenas quatro minutos, cheios de humor e de poesia.
Técnicas: Teatro Negro, Manipulação
Direção de Cena: Liane Venturella
Direção Artística, Criação dos Bonecos, Cenografia e Manipulação: Paulo Martins Fontes
Produção e recepção do público: Eduardo Custódio
Iluminação: Tiago Rodrigues
Duração: 90 minutos
COMPANHIA CAIXA DO ELEFANTE TEATRO DE BONECOS — RS
A Caixa do Elefante Teatro de Bonecos completa quinze anos de atividade contínua em 2006. Natural de Porto Alegre, RS, a Companhia apresenta, em suas montagens, a essência do Teatro de Bonecos latino-americano: textos populares que mesclam poesia e comicidade, apresentados com primor técnico na construção e manipulação dos bonecos.

Fotógrafo: Guto Muniz
ESPETÁCULO: O Cavaleiro da Mão de Fogo
Tranças-de-Ouro, a filha do rei da Ilha, é raptada por um terrível bruxo e levada para o Reino das Sombras. Cinco são os cavaleiros que tentarão resgatá-la, mas somente um, lutando com a verdadeira força do amor, será capaz de libertá-la das garras do mal. O texto em versos proporciona, como em uma parábola, diversos níveis de compreensão para adultos e crianças.
Técnica: Fios e Sombras
Classificação: Livre
Autoria: Mário Pirata
Direção: Mário de Ballentti
Duração: 50 minutos
ANIMA SONHO — RS
O ANIMA SONHO foi fundado em março de 1984 pelos gêmeos Tiarajú e Ubiratan Carlos Gomes na cidade de Porto Alegre. Hoje, o ANIMA SONHO apresenta a remontagem de Bonecrônicas, em memória de Tiarajú Carlos Gomes, com nova formação, seguindo as características e o estilo desenvolvido há mais de vinte anos e que tem sido mostrado no Brasil e em países como Uruguai, Argentina, Venezuela, Portugal, Espanha, Itália e Japão.

Fotógrafo:

 

ESPETÁCULO: Bonecrônicas
Bonecrônicas é uma declaração de amor à América Latina. Composto de pequenos esquetes e números musicais, apresentados por bonecos de luva e de manipulação direta, revela o humor, a delicadeza e a tremenda capacidade de comunicação com o público que o talento e a experiência do grupo lhe garantem.
Técnicas: Luva e Manipulação Direta
Idade Recomendada: Todas
Criação, Direção e Confecção: Ubiratan e Tiaraju Carlos Gomes
Atores-manipuladores: Ubiratan Carlos Gomes e Cacá Sena
Técnica, Iluminação e Sonoplastia: Graziela Saraiva
Duração: 45 min